Fundo de reserva: qual a importância de usar no consórcio?

Em um consórcio, é comum que os contratantes arquem com taxas além do valor do fundo comum, que é utilizado para a contemplação das cartas de crédito. O fundo de reserva é uma delas. Para que a sua experiência com o grupo seja a melhor possível, você precisa aprender sobre todos os custos embutidos nessa negociação. Por isso, neste artigo será explicado o que é fundo de reserva, como ele funciona e se vale a pena ou não contratar um consórcio com essa taxa. Confira a seguir!

Saiba sobre “fundo de reserva consórcio” e “fundo de reserva quem paga” | Foto: Pixabay/AlexanderStein

Saiba o que é fundo de reserva 

O fundo de reserva consiste em um valor recolhido pela instituição administradora do consórcio, visando cobrir possíveis gastos emergenciais. Ele funciona como uma garantia para que todos recebam seu bem ao fim do contrato, sem que haja qualquer impedimento para isso.

A empresa responsável pelas cartas de crédito utiliza essa quantia para cobrir eventuais inadimplências, bem como gastos judiciais e bancários. Ao final do consórcio, é possível recuperar esse dinheiro ou parte dele. Tudo vai depender da boa saúde do seu grupo, se há pouca taxa de desistência e/ou inadimplência por parte das pessoas que estão aplicando junto com você.

No geral, é a administradora que decide em que esse dinheiro será destinado, e tudo isso precisa ser especificado para o contratante na hora da negociação. Segundo a Circular Nº 3.432 do Banco Central do Brasil, o fundo de reserva pode ser utilizado para os seguintes fins:

  • Cobertura de eventual insuficiência de recursos do fundo comum;
  • Pagamento de prêmio de seguro, para cobertura de inadimplência de prestações de consorciados contemplados;
  • Pagamento de despesas bancárias de responsabilidade exclusiva do grupo;
  • Pagamento de despesas e custos de adoção de medidas judiciais, ou extrajudiciais, com vistas ao recebimento de crédito do grupo;
  • Contemplação, por sorteio, desde que não comprometa a utilização do fundo de reserva para as finalidades previstas nos pontos anteriores.

Entenda como a contribuição é calculada 

A quantia é paga junto com o fundo comum, a taxa de administração e o seguro, quando contratado. Tudo isso precisa ser especificado no contrato, assim como a porcentagem em cima do valor da aplicação correspondente ao fundo de reserva, que pode variar de um lugar para outro. 

De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), para chegar ao valor mensal que será cobrado pelo fundo de reserva, é necessário dividir a porcentagem total especificada no contrato pelo número de meses do consórcio. Após isso, basta multiplicar o resultado pelo valor total do investimento e você saberá a quantia. 

Uma determinada instituição pode cobrar 2% pelo fundo de reserva, por exemplo. Então, supondo que o consórcio em questão seja de 60 meses e o valor do crédito seja de R$ 30 mil, a quantia que você deverá pagar por mês será R$ 9,99, o que não é muito, principalmente quando levados em conta os benefícios que serão apresentados a seguir.

Veja se vale a pena ter fundo de reserva em um consórcio 

Não são todas as instituições que cobram essa taxa, já que ela é facultativa. Entretanto, quando se trata do fundo de reserva, quem paga tem diversos benefícios. Entre eles, estão a garantia de que seu objetivo não será prejudicado pela inadimplência de outro membro do consórcio, e a certeza de que as despesas inesperadas do grupo, sejam elas bancárias ou judiciais, estarão bem amparadas. 

Portanto, é muito importante contar com o fundo de reserva, pois além de ter as garantias proporcionadas por essa quantia, ela ainda poderá voltar para você ao final do consórcio, caso não seja totalmente consumida pelas eventuais emergências. A instituição tem até 60 dias, contados a partir da última assembleia, para fazer o levantamento do valor restante e dividir entre os participantes do grupo. Então, atente-se a isso e busque seus direitos, se necessário. 

Agora que você sabe o que é fundo de reserva, deve estar claro que escolher uma instituição séria e transparente para realizar seu consórcio faz toda a diferença, visto que todas as taxas e condições, inclusive do fundo de reserva, devem ser passadas no momento da contratação e especificadas no contrato.

Deixar uma resposta